FALE COM A NONA  
Somos uma igreja adoradora, bíblica, contemporânea, intercessora
missionária e receptiva para a glória de Deus


Igrejas Plantadas

Igreja Presbiteriana Céu Azul

Em 1967 os irmãos Adélia Lomeu, Presbítero Floremil e Dona Maria Silva iniciaram esse trabalho, que hoje é uma igreja local pujante. A irmã Adélia Lomeu, conversando com irmãos, sobre o bairro Céu Azul, onde moravam pessoas que eram assistidas pelo projeto da Visão Mundial, sugeriu que ali fosse iniciado um trabalho.


O presbítero Valdemar Caetano de Lima conhecia uma pessoa que queria vender um lote naquela região. Convocada a igreja para uma oferta especial, conseguiram o suficiente para dar uma entrada. O Sr. João Carvalho, que era crente, freqüentador, mas não membro da Nona Igreja, conseguiu um galpão emprestado, ao lado de sua casa. Dona Adélia começou o trabalho com as crianças debaixo de um pé de Jurubeba usando um material emprestado da Igreja Metodista Central de BH e o restante improvisado, sem cadeiras, aos domingos à tarde.


Deram entrada no lote e pagavam prestações. Construíram dois cômodos arrecadando dinheiro com vendas diversas promovidas pelos envolvidos.


O transporte era de ônibus e grande parte a pé. Em dois anos, havia uma SAF organizada e muito ativa em visitas evangelísticas que tinham grande aceitação. Presidida no primeiro ano por Dona Adélia e no segundo por Dona Horalda. Geraldo Bosco, um crente novo ainda não discipulado, assumiu tesouraria e a escola dominical; ainda precisou da assistência de Dona Adélia por mais dois anos.


A congregação caminhou com poucos acréscimos. Sem liderança local preparada, inclusive com apoio de um irmão batista, com visitas apenas mensais de presbíteros da Nona Igreja, quase foi fechada por volta de 1988, quando então o Conselho resolveu enviar o Presbítero Valdemar, um dos membros fundadores da Nona Igreja, para dar assistência todos os domingos. Homem muito dinâmico, a congregação retomou forças, cresceu, e veio a ser organizada em 1991. Hoje, 17 (dezessete) anos depois (2008), a Igreja Presbiteriana no Céu Azul é pastoreada por um filho do Pastor Valdemar, o Rev. Joel Caetano de Lima.


Igreja Presbiteriana da Paz

A antiga Congregação Boas Novas foi criada em 1971, pelos irmãos Adélia Lomeu, Presbítero Floremil e Dona Maria Silva. Na Nona Igreja se estabeleceu um projeto assistencial da Visão Mundial. Dona Maria, filha de dona Horalda, percebeu que muitas mulheres assistidas moravam em Justinópolis, distrito de Ribeirão das Neves, a cidade mais carente da Grande Belo Horizonte. Ela então sugeriu ao Presbítero Floremil, responsável pelo projeto social, que iniciassem um trabalho ali.


O trabalho começou no terreiro de uma família não crente, do Sr. João Carvalho, que cedeu o espaço para a realização do trabalho com as crianças. Conseguiram um lote próximo à casa da filha de dona Horalda, do Céu Azul, em um local muito acidentado e de difícil acesso, mas perto de sua casa. Porém, como não tinham um local onde se reunir, pediram à Nona Igreja que adquirisse o lote a prestação, o que aconteceu, e começaram a construção de um cômodo muito pequeno. A irmã Adélia teve sua casa desapropriada pelo DNER, e permitiu que um pedreiro da Nona Igreja retirasse o material de construção aproveitável para construir os primeiros cômodos.


 Os irmãos Adélia, Floremil e Maria continuaram assistindo à igreja, na medida de suas possibilidades, até por volta de 1994. Com pouca assistência, a igreja cresceu pouco numericamente, período em que quase foi fechada. Alguns irmãos saíram e iniciaram outro trabalho, que hoje é a Igreja Presbiteriana Nova Aliança, também em Justinópolis. A realidade mudou quando em 1995 o conselho resolveu enviar um evangelista para trabalhar em tempo integral na congregação, José Welington, experimentando então um crescimento considerável.  Depois de Welington foi assistida pelo seminarista Osmar Júnior, que foi ordenado pastor e levou a igreja à sua organização em 2002. Hoje (2008) pastoreada pelo Rev. Adson Cerqueira Santana.

Igreja Presbiteriana Aliança Eterna

A história da Igreja Aliança Eterna tem início com 03 (três) presbíteros da Nona Igreja, Geraldo Teodoro, Geraldo Amorim e Laurimar, em 1975. Laurimar começou a reunir algumas pessoas no domingo em sua casa. Havia um terreno disponível para venda em frente à sua casa. Apresentou a idéia ao Conselho para que comprassem o terreno. A Nona Igreja realizou a compra e os próprios membros começaram a construção, por iniciativa do Pb. Geraldo Amorim, e depois com ajuda da Nona Igreja.


A congregação recebeu o nome de Filadélfia. Os primeiros obreiros que trabalharam foram Laurimar e Geraldo Teodoro, que ensinou na EBD nos dois primeiros anos, e sua filha Helsa dava aulas para as crianças numa favela próxima. Dona Maria Leal, Dona Alice eram vizinhas e foram as primeiras a participar.


O trabalho foi feito com revezamento entre os presbíteros. A congregação não conseguiu atingir maturidade, sofrendo oscilações na freqüência dos membros por muitos anos. Eventualmente foram enviados seminaristas para assistir o trabalho, mas sem sucesso na expansão. Em 1998, o seminarista Pedro foi enviado para lá, e realizou um bom trabalho. Em 2000 foi ordenado como pastor, permanecendo no campo da Nona Igreja destacado para a Filadélfia. Em 2001 a congregação foi emancipada, e hoje tem o nome de Igreja Presbiteriana Aliança Eterna.

Igreja Presbiteriana da Aliança

A história da Igreja Presbiteriana da Aliança teve seu início a partir de um ponto de pregação da 1ª Igreja Presbiteriana de BH, que se reunia na residência do irmão Daniel Venâncio, tendo como líder do trabalho o Evangelista Delfino José da Costa, e os atos pastorais ministrados pelo Rev. Altair. Mais tarde o Sem. Jurandir Ferreira assumiu a liderança, sendo os atos pastorais ministrados pelo Rev. Delfino José da Costa que havia sido ordenado naquela ocasião.


No ano de 1988 com o crescimento do trabalho foi necessária a mudança para um imóvel alugado na Rua Lagoa Santa. No ano seguinte, houve nova mudança na liderança, vindo o Sem. Adilson Batista Borges e os atos pastorais ministrados pelo Rev. Geraldo. Posteriormente, assumiu a liderança o Evangelista Elias e os atos pastorais ministrados pelo Rev. Derci.
Em seguida houve nova mudança de local, e a Congregação passou a reunir-se em outro imóvel alugado, e assumiu a liderança o Sem. Gustavo Bessa. Depois assumiram a liderança os seguintes seminaristas: Sérgio, Nilton e Rodrigo Pena. 


No ano de 1996, o ponto de pregação passou para a jurisdição da Nona Igreja Presbiteriana, recebendo o nome de Congregação Presbiteriana Betesda, tendo início, no dia 30 de março de 1996, na residência do irmão Danilo Antônio Moreira, no bairro Conjunto Morada do Rio, em Santa Luzia.


Naquele momento a Nona Igreja Presbiteriana de Belo Horizonte era pastoreada pelo Rev. Carlos Américo Patente. Neste começo, reuniam-se os seguintes irmãos: Danilo, Jovelina e os seus filhos Shirley e Sidmar, Meire, Juliana, Janaína, Robson, Deliene e Fernando.


A Congregação permaneceu na residência do irmão Danilo até o dia 23 de Novembro do mesmo ano, data esta, que marca a sua transferência para a rua Augusto João. O trabalho cresce e novos irmãos são agregados. São eles: Zenite, Luciana, Geisa e Roseli, que foram as primeiras a serem batizadas.


A Congregação foi estruturando-se e em sua escala de pregadores, bem como na Escola Bíblica Dominical, contava com os professores: Robson e Danilo na classe de adultos, Meire na sala dos adolescentes e no departamento infantil as professoras eram Jovelina e Deliene. Shirley atuava como secretária geral da EBD.


Em 1997 a Congregação foi liderada pelo Sem. José Henrique e pelo Presb. Enéas Cabral. Em 1998 assumiu o Sem Anderson, e em 1999 o Sem Luciano Rocha, também presbítero da Nona Igreja.


No ano de 2000, com o crescimento do trabalho foi necessária uma nova mudança de local, quando foi alugado o imóvel que a Igreja ocupa até os dias atuais, na Rua Alto do Tanque. Ainda neste ano a liderança do trabalho passou ao Sem José Wellington da Silva. Em 2002 e 2003 liderou a congregação o Sem Ricardo Xavier, e a partir de 2004 assumiu o seminarista e presbítero Paulo Flávio Ferreira Pereira, hoje pastor da Igreja.


É importante ressaltar que em 1998 foi iniciado um ponto de pregação em Pinhões, a 09 (nove) quilômetros de Santa Luzia. O Senhor tem abençoado também este trabalho, que funciona em local alugado com média de freqüência de 20 (vinte) pessoas. Em 18 de dezembro de 2005 aconteceu a tão sonhada emancipação eclesiástica, e é jurisdicionada pelo Presbitério Centenário de BH.


Para que a história tenha prosseguimento, com muito êxito na expansão do Reino de Deus, entendemos ser de fundamental importância a construção do nosso templo, que foi inaugurado em dezembro de 2008. A Igreja é pastoreada atualmente (2008) pelo Rev. Paulo Flávio Ferreira Pereira. 


Plantação de Igrejas
Igrejas Plantadas

Rua André de Melo e Castro,195 | Nova Cachoeirinha | Belo Horizonte | (31) 3444.7707